Entidades unidas para expandir moda - Cursos no setor confeccionista visam sustentabilidade

postado em 3 de jun de 2011 06:15 por SINVESD INTERNET
Inserir Foto "Entidades unidas para expandir moda 10-2-08 às 10-15-12" pasta "fotos Site"
Otimizar a qualidade da mão-de-obra, por meio de cursos de graduação, especialização e treinamentos profissionalizantes, além de buscar alternativas para tornar os processos produtivos sustentáveis em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, maior pólo de moda do interior do Estado. Esse é o objetivo de várias instituições ligadas ao setor confeccionistas, como o Sindicato das Indústrias do Vestuário de Divinópolis (Sinvesd), Centro Federal de Educação Tecnológica – (Cefet – MG), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg/ Regional Centro Oeste), Sebrae e Banco do Brasil, que possui um projeto voltado para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Participa também a Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis de Divinópolis (Faced), única na região a oferecer um curso acadêmico voltado para a moda. 
Uma das discussões sobre o tema aconteceu na noite da última quarta-feira na sede da Fiemg, em Divinópolis. O foco do encontro foram às tendências para a coleção Outono/Inverno do próximo ano, mas a sustentabilidade da cadeia produtiva também estava em pauta. 
Para a coordenadora do curso superior em Design de Moda da Faced, Clícia Ferreira Machado, a idéia é contribuir para o aprimoramento das técnicas de produção. “O mercado local tem um potencial de crescimento enorme. E aqui, as diversas instituições voltadas para melhorar o enfoque nos processos de qualificação e visão das pessoas inseridas na cadeia estão trabalhando ativamente”, disse a professora. A faculdade forma a primeira turma, composta por 45 alunos, no final do ano. 
Clícia Machado conta que grande parte da turma de graduandos já está inserida no mercado de trabalho. Depois de receberem o diploma, terão a possibilidade de freqüentar cursos de extensão, para aprimorar as técnicas de produção. “Faremos um laboratório de pesquisas, que será aberto à comunidade. Nossa intenção é criar uma identidade ainda mais forte para o que é produzido em Divinópolis” disse. 
A cidade possui, atualmente, 1200 indústrias voltadas para a cadeia produtiva, entre lavanderias, estamparias, confecções e empresas de bordados. São 500 lojas, entre atacado e varejo, distribuídas em seis grandes centros comerciais, e cerca de 20 mil vagas de emprego diretos e indireto. No ano passado a indústria de confecção faturou aproximadamente 30 milhões e produziu 2,5 milhões de peças. 
Para o presidente do Sinvesd, Antônio de Araújo Rodrigues Filho, a expectativa é que haja um crescimento de 5% dos produtos divinopolitanos no mercado nacional, nos próximos cinco anos. “Isso porque temos qualidade e nosso produto não perde em nada para os que são produzidos em grandes centros como São Paulo e Rio de Janeiro. Prova disso é a visualização de peças feitas aqui em telenovelas e shows de grandes artistas. Isso faz com que nosso produto se sobressaia”, ressalta. 
De acordo com Antônio Filho, Divinópolis viveu um divisor de águas de dois anos para cá. Segundo ele, os empresários perceberam a necessidade de agregar valor aos produtos.
“Assim, foi necessário investir em design e na busca por novos nichos de mercado. Nossa freqüente participação em feiras também ajudou nessa conquista e a qualificação de gestores e funcionários de fábricas também foi um diferencial” avalia. 
Para mostrar a punjança do setor confeccionista da cidade e revelar as tendências para a Primavera-Verão 2009, o Hoje em Dia, lança no próximo dia 12, um caderno especial com as principais e mais conceituadas empresas de Divinópolis. 

Postagem em 10/2/2008 às 10:15:12

Comments